29 de setembro de 2009

ESTAMOS DE OLHO!

Campeões de reclamação junto ao Procon, a telefonia e a internet merecem nossa especial atenção. Recentemente, foi-me enviado um torpedo às l6: 30 h. Recebi o mesmo na madrugada do dia seguinte. Segundo a atendente, após aquela habitual e longa espera teclando alguns números de atendimento, foi-me informado que isso não é habitual, mas pode acontecer. Perguntei se havia cláusula contratual para tal recebendo a informação de que não havia previsão no contrato de prestação de serviços para acontecimento desta natureza. Imaginem se fosse a comunicação de um falecimento, de uma urgência médica ou evento similar? Receberíamos a informação no dia seguinte. Tratando-se de velório, com o devido respeito, o féretro já teria, provavelmente, sido enterrado! Quanto à internet notei na conta de minha filha que, para uma determinada velocidade, pagava um preço superior ao oferecido pela mesma empresa em seu site. Uma simples diferença de aproximadamente 67,00. Em contato com a empresa foi-me informado que ela poderia passar a pagar o valor menor sujeitando-se à condição "fidelidade" que nada mais é do que o compromisso de permanecer com os serviços por um ano, sujeitando-se a uma pesada multa de aproximadamente R$ 300,00 (trezentos reais) caso desista neste período. Ora, convenhamos, estamos diante de um leque de valores diferenciados, mas que, no final das contas, quase dá no mesmo. São caminhos com destino certo, quase iguais. Fico me perguntando por que a telefonia e derivados é tão cara no Brasil. Quanto maior a demanda, quanto maior o consumo, menor ou mais acessível deveria ser o preço. É de praxe em economia. Foram assim com notebooks, televisores e outros eletrônicos. Por que a telefonia é diferente? Meu celular tem plano empresarial. Fiz 31 ligações de longa distância, passei 13 fotos torpedos, 49 torpedos diversos e várias ligações locais totalizando minha conta o valor de R$ 235,61. Uma pessoa de minha família, com conta na mesma prestadora de serviços, porém sem plano empresarial, fez 11 ligações de longa distância, 20 torpedos e poucas ligações locais totalizando a conta mensal R$ 172,44. Se as operadoras considerassem o Brasil uma grande empresa, com certeza os brasileiros pagariam bem menos por ligações de telefonia celular. Todo usuário deveria ter o mesmo direito. Não pode haver diferença de preço. Se existe é porque a operadora pode fazer preço diferenciado e, assim sendo, pode, igualmente, reduzir o valor do minuto para todos. Será que estou enganado, desatualizado, desinformado, totalmente ignorante no assunto em pauta ou algo mudou - ou não mudou - nos últimos anos? Vale à pena ter celular e telefone fixo ou somente um dos dois? E a necessidade? Celular, assim como carros, notebooks, televisores de última geração eram luxo mas já não o são mais e parece que, diante de nossa cegueira ou ignorância, o governo silencia. Por favor, corrijam-me e perdoem-me se estou errado, mas sou um consumidor atento a algumas coisas que estão acontecendo para as quais não encontro justificativa plausível, concreta e transparente. Muitas coisas acontecem neste Brasil de todos nós... brava gente brasileira. Enquanto em Porto Alegre, capital do Estado do Rio Grande do Sul temos que estender a mão na faixa de segurança e nos sujeitar a esperar que o motorista pare para atravessarmos, o município de Cachoeirinha tem semáforos eletrônicos, com contagem de segundos visível a todos, que possibilita ao motorista e ao pedestre a mútua confiança. Por favor, me corrijam se estou sendo radical mas muito há de se fazer, ainda, para que o consumidor ou pedestre tenham a segurança merecida !

Um comentário:

Jeff disse...

'Et veritas'..
Concordo com o que dizes.
Em nosso país, as coisas que deveriam se ter como princípios, como o respeito, a dignidade, a solidariedade.. entre outros, vem se tornando virtudes.
Não há mais o bom senso do povo brasileiro!!
Engolimos tudo o que nos passam na mídia televisiva!!
Este meio que deveria servir para nos orientar, aos poucos está manipulando o povo com somente as informações que eles querem passar e esquecem de realmente passar aquilo que o povo necessita.

Nos acostumamos, nos últimos tempos, com o "errado". Esquecemos de vangloriar os verdadeiros princípios éticos que é algo universal mas pelo que parece, vem sendo deixado de lado ou até se tranformando conforme as 'informações' que nos passam.

Tá na hora desse povo deixar a mediocridade de lado e olhar as coisas com olhos um pouquinho mais humanos!!

Chega de sermos desonrados por aqueles que deveriam nos proteger!!

Afinal, somos nós os otários que pagamos os salários deles!!

..e tenho dito..

Que DEUS tenha piedade de nós!!
-Jeferson Adriano Tregnago-