29 de março de 2008

ALEGRE PORTO

De sonhos de um futuro melhor,
De esquinas e bares...mulheres e boêmios !
Porto de solidão, amor, sussuros da Redenção !
Da vista bela...das pedras da chácara.
Porto de Lupis, Orlandos, Túlios, Brizolas, Quintanas...
Porto de saudades, bondes, burros... sussuros do Parcão !
De becos, ruelas, traições...
De degoladas... pobre Maria.
De morros, lagos, praias.
De malocas e mansões és ainda alegre porto meu.
Incomparável, misterioso, és minha morada do coração.
Fostes espada, guerra, rebelião...
Fostes amores, entregas... meu doce chão !
Hoje te ergues altivo...gaiolas altas,
De onde os poentes são avistados e amados...
És sonho... paixão !
Entristece-me as rugas de meu rosto e teus rebocos novos...
Porque não estarei mais aqui quando envelheceres... se envelheceres !
Mas ainda moro em teu coração... por enquanto.
Até que teu solo me abrigue,
Te amo e defendo alegre porto...
Pena que não és só meu.
Meu ciúme e lenço vermelho... da cor do sangue
Que ainda circula...
Braveja palavras caladas... pelos teus minuanos.
Querido e alegre porto... para sempre alegre,
Abrigarás mais um gaúcho até a morte...
Meu querido e alegre porto...
Meu porto...
Alegre! Alegre! Alegre!

by Deppe
Homenagem ao Aniversário de Porto Alegre

Um comentário:

Stella Vives disse...

Lindo poema sobre Porto Alegre, nossa velha jovem senhora que aniversariou no mês de março, mas que, embora esteja se trasmutando no dia-a-dia, conserva-se ainda tradicional em muitos aspectos.
Stella Vives